Data da Notícia: 
15/03/2018 - 17:00

A Inova-Ria, conjuntamente com os parceiros Fórum Oceano, ACIFF, NERLEI, e SINES TECNOPOLO, lança o projeto PLATICEMAR – Plataforma de Consolidação do Setor TICE e Empreendedorismo na Economia do Mar, apoiado pelo COMPETE 2020, Portugal 2020 e UE, que tem como objetivo principal potenciar a inovação e o empreendedorismo na fileira da Economia do Mar, tendo como base o incremento da cooperação empresarial e a incorporação de novas capacidades e competências tecnológicas.

No âmbito deste projeto, realizaram-se ontem as Jornadas de Benchmarking e Workshop prospetivo de consolidação das TICE na Economia do Mar, em Ílhavo, onde foram apresentados os objetivos principais do projeto, sendo eles a promoção do empreendedorismo de base tecnológica na Economia do Mar, a análise e diagnóstico das necessidades e potencialidades deste setor e apoio à criação de startups TICE alinhadas com as necessidades da Economia do Mar.

A sessão contou com a participação do Presidente da Câmara de Ílhavo que acolheu estes trabalhos como sendo muito importantes para a região e para todo o país, dada a sua extensa costa marítima e a tradição que nos “une” ao Mar, referindo a importância de reforçar as competências da indústria e do comércio ligado ao setor marítimo, e demonstrou a recetividade do Munício de Ílhavo em acolher e testar novas tecnologias e empresas ligadas a este setor que fomentem a sua competitividade.  O painel de debate contou com a participação de empresas e entidades consolidas no mercado, nomeadamente a Administração do Porto de Aveiro, Algaplus, A. Silva Matos, Prio Energy e Wavecom, que partilharam as suas áreas de trabalho, as competências que utilizam e os principais desafios tecnológicos que se perspetivam no futuro, afirmando o importante papel das TICE na competitividade destas empresas e o seu posicionamento no mercado. Como principais desafios foram apontados a falta de recursos humanos tecnicamente qualificados, a otimização operacional especializada como fator de incremento da competitividade empresarial, e ainda a logística, a sensorização e a comunicação como áreas de elevado potencial tecnológico para a Economia do Mar.

O evento contou também com a participação do Prof. Fernando Seabra Santos, da Universidade de Coimbra, como orador principal, que fez um enquadramento geral da ligação de Portugal ao litoral e ao mar e a sua relação com o potencial que já existe e que poderá ser incrementado pelo projeto da expansão da plataforma continental. Referiu também as perdas de competências em áreas como as pescas ou a construção naval, ocorridas em tempos recentes, e na consequente perda de ativos como os equipamentos, as instalações ou os recursos humanos especializados.

À semelhança deste evento, irão decorrer igualmente sessões de trabalho nas zonas geográficas dos parceiros do projeto (Porto, Figueira da Foz, Peniche e Sines), sendo que as principais conclusões estarão refletidas no estudo “Diagnóstico de potencialidades das TICE na Economia do Mar” que está a ser elaborado pela consultora Sociedade Portuguesa de Inovação e que será divulgado oportunamente.